Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Cenas de Autocarro #2- O cara de parvo

Mais um dia de escola, mais um dia de greve e mais uma ida de autocarro. Embarquei, sentei-me, açambarquei o lugar ao lado com as minhas coisas e lá prosseguimos caminho.

 

O autocarro passa por uma rua que toda a vida foi problemática. Dantes era porque tinha uma gráfica, agora é porque tem uma casa de repasto, outra de computadores e uma escola. E o que é que acontece? O mesmo que hoje!

 

Estava uma abécula mal estacionada, tipo metade em cima do passeio e metade na estrada, que impedia a passagem do autocarro. E primeiro que aparecesse para mudar a carrinha de lugar, até dentes cresceram nas galinhas! Como se isto não bastasse, ainda vinha a passo de caracol.

 

Pensei para com os meus botões "além de mole, ainda tem cara de parvo..." E não é que o meu pensamento foi partilhado por mais pessoas que o verbalizaram?!? Ouviram-se umas vozes masculina dizer "ainda por cima tem cara de parvo!" E nesse preciso momento, ouviu-se um efeito sonoro de desenho animado, aquele de quando se apanha um grande melão. Não falo ideia de onde veio mas que foi na hora certa, foi! Desatou tudo na risota.

 

Nem com isto tudo, o cara de parvo estacionou a carrinha bem. Enquanto ele fazia marcha atrás estava o pessoal todo a mandar bitaites e a rogar pragas "devias era mandar a mota abaixo", "ainda vais ter que a estacionar outra vez!"

Mas a melhor de todas, foi a do motorista do autocarro, que depois de ter feito ali manobras malabaristas, rematou com "deixa lá que ainda vais ter de sair daí,,, o que vem atrás não passa mesmo porque é mais largo que eu!"

 

Mas porque é que esta gente anda a empatar a vida de terceiros? E não podia logo ter estacionado a carrinha logo bem à primeira vez? Haja paciência para estes "cara de parvos"! 

Tuga Way

Consta que há piores do que nós (países). Consta que as mulheres são piores do que os homens. Há excepções em ambas as partes. Confirma-se!

 

Já depois do jantar, o N. foi fumar o seu cigarrinho à varanda da sala – sim, porque a lei também foi implantada na minha casa… ainda assim não apareça a ASAE – para não ficar tudo mal cheiroso.

 

De repente, o N. chama-me e diz-me “anda cá ver isto…”. A mim deu-me um click e perguntei-lhe “é pra levar máquina fotográfica?” ao que ele respondeu “se quiseres…”

 

Fui aos saltinhos toda contente buscar a máquina para fotografar não fazia ideia o quê. Foi então que olhei do meu castelo altaneiro para a rua e vejo esta bela cena…

 

                          

 

A minha rua só tem um sentido e é apertada. Além de que tem muito movimento. O que vale é que a cena passa-se à noite. Verdade se diga, também, que eu não sei desde que horas é que o carro estava assim.

 

Podem estar já a chamar nomes ao dono do carro e dizer que ele podia ter estacionado noutro lugar, blá, blá, blá… Só que eu não vos contei um pequeno pormenorzinho… É que a partir de determinada hora a lotação fica esgotada. Não cabe nem uma bicicleta.

 

Esta foi a solução arranjada. Apreciem bem, vejam lá se não é o desenrasque à português…?! That’s the Tuga Way!